Quanto ganha um socorrista do Samu? Salário médio atual

Se você tem dúvidas sobre quanto ganha um socorrista do Samu, este conteúdo pode ajudar você a solucionar essa questão. Descubra quanto ganha um socorrista do Samu, além de outras informações relevantes relacionadas ao assunto.

Fonte: Reprodução | Prefeitura de Santarém

O que faz um socorrista do Samu?

No Brasil, o socorrista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) possui um papel bastante importante no atendimento pré-hospitalar de emergência.

A princípio, os socorristas do SAMU responderam a chamadas de emergência feitas pelo número 192. 

Além disso, os profissionais também avaliam a situação e fornecem instruções por telefone até a chegada da equipe no local.

Conteúdo relacionado

Curso de Bombeiro Civil

O curso de Bombeiro Civil pode ser uma ótima oportunidade para você. Confira aqui mais detalhes sobre o mesmo!
Conferir
*Você permanecerá no site atual
X
Curso de Bombeiro Civil
Conferir *Você permanecerá no site atual
Cursos de capacitação gratuitos
Vagas de emprego com candidatura online
Bolsas de estudo de até 80%
Cursos para estudar grátis na Fiocruz

Quando necessário, os socorristas vão para o local da emergência em ambulâncias ou veículos equipados para prestar assistência médica imediata.

Variavel
source
Para receber vagas, basta se cadastrar

Esses profissionais buscam manter a comunicação constante com a equipe médica do hospital, fornecendo informações sobre o estado do paciente.

Por fim, os socorristas do Samu são profissionais treinados para lidar com uma variedade de situações de emergência.

Qual é a carga horária do Samu?

A carga horária do socorrista do Samu pode variar de diferentes fatores, principalmente áreas de emergência.

Geralmente, o trabalho em serviços de emergência médica, como o Samu, pode envolver escalas de plantão, turnos diurnos e noturnos.

Além disso, o processo de horas também envolve horas extras, especialmente em situações de maior demanda.

De maneira geral, o socorrista possui uma carga horária de 44 horas, contudo, não é uma opção aplicada a todos os profissionais.

Isso porque, em alguns casos, os profissionais podem cumprir jornadas de trabalho que incluem plantões de 12 ou 24 horas, seguidos por períodos de descanso.

Quanto ganha um Socorrista do Samu?

Agora que você já sabe o que faz um profissional, é hora de saber quanto ganha um socorrista do Samu.

Geralmente, o salário poderá variar de acordo com diferentes fatores, como experiência profissional, área de atuação e muito mais.

Por exemplo, profissionais que possuem maior tempo de experiência no mercado de trabalho costumam receber remunerações mais elevadas.

Fonte: Reprodução | Veja

No Brasil, o ganho médio mensal de um socorrista resgatista varia entre R$ 2.500 e R$ 4.000. 

Contudo, é crucial destacar que em áreas economicamente mais desfavorecidas, onde a procura por esse serviço é mais intensa, as remunerações podem ser inferiores.

Quem trabalha no Samu é funcionário público?

A condição de funcionário público para aqueles que trabalham no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pode variar de acordo com a estrutura organizacional.

Em muitos casos, os profissionais do Samu são servidores públicos, mas há alguns pontos que precisam ser considerados, como:

  • Contratação;
  • Terceirização;
  • Contratos temporários;
  • Entre outros pontos.
Curso

Curso de primeiros socorros online

O curso de primeiros socorros pode ser uma ótima oportunidades para você explorar uma carreira nova. Confira!
Conferir
*Você permanecerá no site atual
X
Curso de primeiros socorros online
Conferir *Você permanecerá no site atual

O que é preciso para trabalhar no Samu?

Para ingressar no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), são necessários requisitos específicos que podem variar conforme a região. 

Geralmente, os candidatos devem possuir formação em uma área da saúde, como enfermagem ou medicina.

Além disso, é necessário ter um registro nos conselhos profissionais correspondentes para começar a exercer a função.

Fonte: Reprodução |

Em alguns casos, experiência prévia na área de emergência ou cuidados intensivos pode influenciar no processo de ingresso.

Por fim, a aprovação em um processo seletivo, que pode incluir entrevistas e avaliações práticas, também é um requisito.